Riscos

Confira abaixo os tipos de riscos que os produtos negociados pela Fator Corretora têm:

  • Risco de Mercado
    De acordo com a Resolução 3464/07 do Conselho Monetário Nacional, o Risco de Mercado é a possibilidade de ocorrência de perdas resultantes das flutuações nos valores de mercado de posições. Esta definição inclui os riscos das operações sujeitas à variação cambial, taxa de juros, dos preços de ações e dos preços de mercadorias (commodities).
     
  • Risco de Crédito
    Conforme definição do Bacen (Resolução 3721/09), o risco de crédito é a possibilidade de ocorrência de perdas associadas ao não cumprimento pelo tomador ou contraparte de suas respectivas obrigações financeiras nos termos pactuados, à desvalorização de contrato de crédito decorrente da deterioração na classificação de risco do tomador, à redução de ganhos ou remunerações, às vantagens concedidas na renegociação e aos custos de recuperação.
     
  • Risco de Liquidez
    A Resolução 2.804/00 do Conselho Monetário Nacional define como Risco de Liquidez a ocorrência de desequilíbrios entre ativos negociáveis e passivos exigíveis – “descasamentos” entre pagamentos e recebimentos – que possam afetar a capacidade de pagamento, levando-se em consideração as diferentes moedas e prazos de liquidação de seus direitos e obrigações.
     
  • Risco Operacional
    A Resolução 3.380/06 do Conselho Monetário Nacional define como Risco Operacional a possibilidade de ocorrência de perdas resultantes de falha, deficiência, ou inadequação de processos internos, pessoas e sistemas, ou de eventos externos.
     
  • Risco de Custódia
    Trata-se do risco de perda dos valores mobiliários mantidos sob custódia, ocasionado por insolvência, negligência ou por ação fraudulenta do custodiante ou de um subcustodiante.
  • Risco de Liquidação
    Compreende o risco de uma liquidação não ocorrer de acordo com o esperado em determinado sistema de transferência. Este risco engloba tanto o risco de crédito quanto o de liquidez.
     
  • Risco de Negociação
    Está associado a problemas técnicos que impeçam o investidor de executar uma operação em determinado preço e horário. Por exemplo, a falha no sistema de negociação, incluindo falha de hardware, software ou conexão via internet.